Group
03_3523303084e92cf8aeebd8.jpg
05_4228292724e92cf6af0614.jpg
06_6734429884e92cf66597bb.jpg
07_793707304e92cecbb1b81.jpg
02_15151359735061d254d5d19.jpg
04_9468281295061d26619cd9.jpg
09_1681682805061d273f0f08.jpg
11_9562095055061d2828331e.jpg
12_5584573815061d2912b793.jpg
13_7330317825061d2a19c667.jpg
14_3196677945061d2d883cdb.jpg
20/05/2008
Martifer Group with new Corporate Governance model (PT version)

O Grupo Martifer aprovou, em Março último, em Assembleia Geral da empresa, um novo modelo de governo corporativo para fazer face aos desafios presentes e ao crescimento futuro. A comissão executiva da Martifer foi alargada de 3 para 5 administradores executivos e foram nomeados 2 administradores independentes, não executivos, totalizando 4 administradores não executivos. Exceptuando o CFO do Grupo, os administradores executivos foram nomeados CEO’s das 4 Áreas de Negócio do Grupo: Construção Metálica, Equipamentos para Energia, Geração Eléctrica e Agricultura e Biocombustíveis, ficando cada um a liderar equipas dedicadas de profissionais focados, exclusivamente, em cada área de negócios.


COMISSÃO EXECUTIVA

Carlos Martins: CEO da Martifer SGPS e CEO da área de Agricultura e Biocombustíveis
Jorge Martins: Vice-CEO da Martifer SGPS, SA e CEO da área da Geração Eléctrica
António Pontes: Vogal da Martifer SGPS e CEO da área dos Equipamentos para Energias
José Rodrigues: Vogal da Martifer SGPS e CEO da área das Construções Metálicas
Pedro Doutel: CFO da Martifer SGPS

Com efeito, o crescimento acelerado do Grupo nos últimos anos, com a entrada em novas Áreas de Negócio e em novas geografias, e o ambicioso plano de investimentos anunciado por altura do nosso IPO em Junho de 2007, veio aumentar extraordinariamente a complexidade da gestão do Grupo pelo que se tornou crucial aperfeiçoar a nossa organização e o seu modelo de governo de forma a torná-lo, escalável - nacional e internacionalmente – bem como clarificar e focar o papel e a missão das várias equipas na organização.

A Martifer SGPS focará o seu papel no planeamento e estratégia do Grupo, definição de políticas transversais, gestão de riscos, finanças corporativas, promoção de sinergias no seio do Grupo e avaliação da performance das Unidades de Negócio. Neste novo modelo de governo, o reporte das actividades internacionais é feito verticalmente a cada Área de Negócio.

A nova organização do Grupo contempla também a constituição de um Centro de Serviços Partilhados que possa prestar serviços de suporte (non core) a todas as Áreas de Negócio a nível nacional e internacional. Com o Centro de Serviços Partilhados a palavra-chave é optimização, promovendo ganhos resultantes de economias de escala (maior eficiência e redução de custos) na realização destas tarefas através da sua centralização, numa entidade especializada, libertando os recursos das Áreas de Negócio para se focarem nas suas actividades core.

O novo modelo de governo resultou de uma análise profunda e isenta do modelo actualmente em vigor, bem como da discussão partilhada do modelo organizativo mais adequado para dar resposta aos desafios futuros.